terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Fecho de contas


      Este ano que agora se cumpre, encerra para mim com saldo positivo. E como todo o resultado tem de ser demonstrado, aqui segue o argumento (pensavam que era números, hã?!):

Fui feliz! Amei e fui amada!
Beijei, abracei, afaguei e consolei!
Chorei, sofri! Trabalhei, estudei!
Descobri coisas novas, realidades paralelas,
pessoas e afinidades, mundos novos, músicas, palavras.
Morri, renasci, reergui-me,construí-me de novo. 
Tive uma vida plena, cheia.
O caminho fez algumas bifurcações, encruzilhadas e cotovelos,
mas teve sempre uma luz a piscar, não lá no fundo ou no horizonte, mas dentro de mim!
Desejo que o próximo ano seja igual a este!!!

        E a provar que a vida é um eterno recomeço,  numa viagem que nos leva ao infinito de nós, ontem, quando estava à espera do autocarro,  voltei a ver um esquilo, a fazer tal qual como o outro que partiu. A natureza, deusa-mãe, mestre, envolve-nos sempre no seu regaço e insufla-nos o sopro de vida e de alento  para continuarmos sempre no caminho...