sábado, 28 de dezembro de 2013

Ainda não me perdi...




Gastei uma hora pensando um verso que a pena não quer escrever.
No entanto ele está cá dentro inquieto vivo.
Ele está cá dentro e não quer sair.
Mas a poesia deste momento inunda minha vida inteira.                                                                               Carlos Drummmond de Andrade



     Não se perdeu nenhuma coisa em mim.
Continuam as noites e os poentes
Que escorreram na casa e no jardim,
Continuam as vozes diferentes
Que intactas no meu ser estão suspensas.
Trago o terror e trago a claridade,
E através de todas as presenças
Caminho para a única unidade.

Sophia de Mello Breyner