quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Abraço



Estavas a dormir,
entrei pela janela do teu peito,
acoitei-me no canto ao lado do teu coração...
pulsava... afanosamente toava o compasso da vida,
definitivamente é aqui que quero estar.
Na muralha do teu corpo,
sinto-me donzela protegida.

Deixa-me ficar!
No calor do teu abraço...
Deixa-me ficar aqui!