terça-feira, 21 de abril de 2015

Confissão


Não sou grande nem sequer tenho pretensões a sê-lo, acho que sempre fui do meu tamanho e não mais que isso. Quem me conhece sabe que não calço os sapatos dos outros e que nunca sobrevalorizo a minha pessoa.
Mas, pelo vistos, ás vezes ponho-me a jeito.
E Deus, que sempre me acompanha e vela por mim, para minha grande graça, na sua lisura imensa, sempre encontra forma de me meter no caminho e de me remeter à culpa, não me vá eu arvorar em flor ou astro.
A injustiça feriu-me, muito. Ontem pôs-se-me um sol...