quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Por dizer...




Em sufoco surdo cala-se o agudo grito
que arranha e fere a garganta.
 
Apagado o som, anulada a voz,
gritam aos olhos pingos embaciados de dor.
 
Cabe aos dedos limpar o rosto
e desenhar serenidade na muda boca.
 
Tanto fica por dizer...