quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Fraternitas (mote)



Toc, toc,
bates-me à pele,
pedes-me permissão para entrar...
nos olhos o carinho e
no sorriso o afago prometido,
o abraço apertado 
na carapaça da concha que me tornei.
 
Pressinto escorrer quente a seiva
do teu peito materno
que eu a espaços retorno.
 
Recebo-te,  mas, sem compromisso.