terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Ponto de encontro


No istmo do teu braço esquerdo,
em côncavo porto da tua axila,
ancoro meu mar revolto de caracóis e
ouço o marulhar do teu coração...