terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Palavras

Serão sempre palavras...
Mesmo as que não são ditas, escritas ou pensadas em construções artísticas ou banais, serão sempre palavras sentidas, sofridas, moldadas.
Por vezes parece que fogem, com medo de ficarem presas ao papel, ao pensamento, aos dedos.
Outras escondem-se nos olhos, na alma, em sentimentos profusos e profundos, tão fundos que teimam não se transformar em linhas, pontos ou riscos,  mas em cristais cristalinos que bailam no mar revolto dos sentidos,  em vibratos sensíveis ao toque.
E basta um abraço, um estender a mão para as ancorar: o que não foi dito, fica para sempre escrito no firmamento do nosso olhar.