sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

O teu silêncio rasga...



O teu silêncio rasga...
Rasga-me a pele com garras afiadas,
 recalcitra fendas profundas em tatuagens permanentes.