terça-feira, 17 de junho de 2014

Na corda bamba...




O meu estado de alma hoje, amanhã, depois e depois... e ainda depois.
 A seguir logo se verá... mas as borboletas continuam a bater as asas,
sinto-lhes o vento que arrepia a pele
 as mãos húmidas e trémulas de ansiedade.
Longas frases, longas esperas...