sexta-feira, 27 de junho de 2014

Medo...


Assustei-me!
Hoje um futuro fez-me uma visita.
Um vislumbre do que pode ser brutal,
assaltou-me o espírito.
Porque o relógio do tempo não se atrasa nem pára,
vi-me perdida e sem retorno
num buraco negro que me aspira e do qual não posso fugir.
Assustei-me! Juro-te!
Por favor, não (me)deixes!