terça-feira, 26 de julho de 2016

Tronco


Bebo-te a seiva,
sémen de vida
à boca das palavras
e nas mãos moldo as asas
do corpo fugitivo
que não se prende às teias da vida 
mas que enraíza no chão.