terça-feira, 24 de março de 2015

(de) Encontro



Encontramo-nos.
Por acaso, por mero acaso.
Numa daquelas curvas do tempo
onde acontecem acasos felizes.
Reconhecemo-nos.
Como se nos conhecêssemos de há muito,
como se o tempo e os lugares fossem os mesmos,
apesar de diferentes.
Tínhamos novos rostos e corpos.

Contudo, ao olharmo-nos
sentimos que era de e para sempre!


(Pintura Tarsila do Amaral)