terça-feira, 24 de setembro de 2013

Outono...

Acordei.
Ao abrir a janela, o cheiro a chuva me inundou.
Ao longe um manto de espessa névoa, fofa e diáfana, misteriosamente cobre as árvores, como que a protegê-las. O encanto mágico, místico da floresta... 
Tenho saudades. Parece-me um convite... O cheiro me invoca...os elementos apelam... 
Outrora, num outro caminho, num outro espaço, numa outra dimensão, a comunhão era plena, agora o cimento é âncora do meu corpo, mas o espírito... esse, vagueia e se entrelaça nos troncos das árvores e respira, sofregamente a força da Mãe, o poder da Deusa...  
 Sinto-me ligada... 
Ao respirar o prana o meu peito transborda e, em plena conexão, alegro-me por existir ...assim...