terça-feira, 27 de setembro de 2016

Verão




És tu que me habitas todos os dias,
a quem dou as mãos
e confio
os segredos que guardo do vento
e partilho
no caminho do rio que nos percorre,
tu a oriente eu a poente, sol e lua
 ilha onde despidos de tudo
sonhamos,
na janela do tempo-hiato, 
istmo
onde nos despedimos do verão.
Somos asas... de nós apenas.